O que estamos plantando hoje?

Estamos nós no limiar de uma nova era, seria também o marco de final de uma criação voltada a bons costumes como educação, como religiosidade, conhecimentos gerais, estudos aprofundados, valorização da palavra, das palavras ditas com respeito…

Será que está se iniciando uma era de total liberdade como está se pregando hoje, que há um confronto generalizado por cabeças que não aceitam o modo antigo de pensar e o modo novo de enxergar a vida? Uma liberdade total, uma exposição enorme de corpos, uma exposição enorme sexualidade assexuada, uma exposição enorme de crianças sendo tratadas como adultos e adultos com responsabilidades de criança. Será que nesta primeira década do século vinte e um está nascendo uma educação contraditória a tudo que houve até então? Até ha dez anos atrás, aqui no Brasil, viam-se as coisas de uma maneira completamente diferente das que estão ocorrendo na visão de hoje, não que não existissem alguns fatos isolados, mas de uma hora para outra, as coisas começaram a tomar volume, a tomar um corpo incomensurável. Aos que estão vivendo em meio aos sessenta anos não conseguem enxergar com bons olhos o futuro deste País. Em contrapartida, pessoas que vivem entre seus vinte ou trinta nos, acham tudo tão natural, uma evolução natural o que está ocorrendo. Será que eles continuarão pensando assim quando estiverem com seus sessenta anos?

Essa geração que tem hoje seus vinte ou trinta anos conheceu em grande parte de sua vida, um jeito diferente de se tratar as coisas, um jeito diferente de se dar respeito pelas coisas, um jeito diferente de respeitar as pessoas… Hoje não há mais nada disso. Parece-me que esses jovens, jovens adultos ainda não sentiram os problemas decorrentes de falta de educação, os problemas decorrentes de falta de respeito para com o próximo, de valorização de seu próximo.

Estaríamos nós, os idosos, muito apocalípticos? Ou seriam os jovens que estão em quase nada preocupados com seus próprios futuros, com o futuro de seus filhos, de seus netos?

No Brasil de hoje, há muitos estudantes, muito mais do que havia em tempos idos, há muitos formandos, mas há pouquíssima qualidade nesses formandos.

Esses jovens de hoje, se esquecem das religiões, se esquecem do respeito a um Ser Maior que criou tudo isso, se esquecem do respeito aos mais velhos, aos pais, se esquecem do respeito a seus próprios irmãos e amigos das suas idades…

O que nos espera?

#Disse
Carlos Leonardo

#CONVITEAPROSA
O que colherão amanhã nossos bisnetos?

 

Publicado originalmente no blog “Divagando a Notícia” em 28/04/2015

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: