Quando três não é demais

Voltando a brincar de Deus novamente? Primeiramente ocorreu com os casos de clonagem, que foi um escândalo no meio científico e principalmente na igreja e agora essa novidade que uma criança pode nascer de três pais diferentes. Já paramos para pensar nos riscos que decorrem desta tomada de decisão?

Será que os benefícios relatados como a formação do feto sem as doenças de herança mitocondrial, justificam os riscos de uma manipulação genética pelo ser humano, levando-se em conta que não temos bons históricos de responsabilidade e respeito à vida humana, de respeito ao ser humano, de respeito às normas de criação o ser humano.

Deixando de lado os valores morais e éticos, imagine esse conhecimento todo sendo dominado por mentes insanas. Que problema traria para a humanidade, manipulações genéticas poderiam ser feitas para atender a interesses de características próprias ao “bel prazer” do criador. Sob a irresponsabilidade e a irreverência, estaria colocada a disposição de qualquer mente insana o poder de decisão sobre como manipular uma nova vida. Isso abriria um leque de opções infinitas para a humanidade…

#Disse
Carlos Leonardo

Fonte: UOL Ciência

 

Saiba mais sobre o que você vai ler na matéria:

Método de fertilização a três – a transferência citoplasmática
Os pesquisadores da USP verificaram que o novo citoplasma introduzido pode ajudar no desenvolvimento do embrião
Relatório publicado pela Autoridade em Embriologia e Fertilização Humana

 

#CONVITEAPROSA
Acompanhe isso através da mídia, porque na tão tradicional Inglaterra, está-se decidindo a validade desse método pelo senado.

 

 

Publicado originalmente no blog “Divagando a Notícia” em 03/02/2015.

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: