Jovem da periferia é consumidor com maior peso no país

classes1Algo está mudando na nova Ordem Nacional. No Brasil verde e amarelo com faixas vermelhas, as classificações de classes sociais de A a D, foram excluídas dando lugar a segmentos específicos da população, jovens, velhos, adultos ativos, massa produtiva, etc… Parece-nos que a transposição entre esses segmentos dar-se-á de maneira muito traumática e às vezes sem sucesso. Imagine por exemplo que dentro de um segmento jovem, ele pode ser citadino, de periferia, rural… Em quase todos os segmentos encontraremos subdivisões que não se intercalarão numa possível mudança de segmento por melhoria de qualidade de vida. E aí, como enquadrar esses emergentes? classes2Mesmo no segmento de idosos aposentados, onde se projeta uma condição de melhores ganhos, isto não é real. A grande maioria da população enquadrada nesse segmento, não obteve um ganho expressivo com a aposentadoria, a bem da verdade, os que tinham melhores possibilidades de um bom ganho constante, foram obliterados pelo famigerado “fator previdenciário”. Então seguindo a orientação vermelha, como de costume, esta nova visão veio para complicar análises e camuflar, para maquiar uma melhoria inexistente na sociedade atual.

#Disse
Carlos Leonardo

Fonte: Folha de São Paulo

#CONVITE
Houve para você uma melhoria em seu padrão de vida?

classes

 

Publicado originalmente no blog “Divagando a Notícia” em 30/09/2014.

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: