Produzir no Brasil é 23% mais caro do que nos EUA, de acordo com estudo

Imagine você que tenha um terreno grande e completamente tomado por mato. Então você contrata duas pessoas para capinarem o dito terreno. Todo dia à tarde, você passa pelo terreno e vê o resultado dos trabalhos do dia. Um dia, um dos contratados vem-lhe falar em particular reclamando de que está ganhando pouco. Você pensa, acha que não é tão pouco que paga a cada um deles, porém ele ameaça a ir embora. Como o serviço está no meio e não pode parar, você toma a decisão dar-lhe um pequeno aumento, mas só para ele e pede-lhe sigilo.
Contente com o aumento, o contratado volta a trabalhar. Mas com o passar dos dias o resultado da capinagem não se altera em nada em termos produtivos, continua no mesmo ritmo. Isto é, você paga mais e a produção não aumenta.
É exatamente isso o que ocorre com a produção no Brasil. O trabalhador brasileiro em sua grande maioria, não tem comprometimento com seu contrato de trabalho, se auto-valoriza demais e tem um resquício de maldade e desrespeito para com o patrão. Acrescente a tudo isso as influências de sindicatos pelegos que nada ou quase nada traz em benefício do empregado, apenas idéias revolucionárias, pouco compreendidas pelo trabalhador, mas que acirram o desrespeito com o contratante.

#Disse
Carlos Leonardo

Fonte: Folha de São Paulo

custprod

#CONVITE
Você aceita esta linha de pensamento? Ou discorda?

 

Publicado originalmente no blog “Divagando a Notícia” em 21/08/2014.

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: