A cusparada, que nojo!

Pretendia me excluir da discussão sobre o tema que está em pauta neste momento, a respeito de dois elementos que “trocaram farpas” e um acabou cuspindo no outro. Não quero nem entrar na questão de quem está certo ou quem está errado, isso está sendo discutido amplamente pela mídia, esse assunto me gera um asco…

DesobedienteLembro-me quando era pequeno, e que meus pais, meus avos me falavam para esforçar-me ao máximo para não deixar acumular saliva em minha boca, para que não houvesse necessidade de ter de cuspir.  A ação de cuspir é um ato que gera asco nas pessoas, normalmente. É uma coisa nojenta, é demonstração de falta de “finesse”, no mínimo, falta de “finesse”.

Agora quando começa a virar moda, é incrível como nós baixamos o nível educacional neste País, onde ditos expoentes políticos, expoentes da mídia começam a repetir gestos baixos, palavras chulas, banalizando a educação, o respeito ao próximo, no mínimo, o respeito ao próximo, não sei para onde estamos indo…

O País ao invés de priorizar o refinamento educacional, parece que estamos cortando por baixo… A cada vez mais por baixo… Estamos em patamares quase que inaceitáveis. Revoltou-me muito quando eu li uma notícia hoje em que jovens cercaram uns senhores que estavam comentando alguma coisa sobre política, expressando suas opiniões e começaram a cuspir nesses senhores, replicando fatos ocorridos com “ditos políticos” na Câmara Federal e depois com ator em discussão com casal. Isso foi muito revoltante.

filho-desobediente-maxima-10293Não há muito que se estender sobre esse tema, mas a muito de pensar em como tentar consertar essa sociedade à deriva. Nós temos que rever alguns conceitos urgentemente. Nós temos que buscar a iluminação de nossos ancestrais, apesar de toda rudeza, de toda agressividade subjetiva que existia na época, o respeito pelas pessoas eram muito grande. E quando começamos dar liberdade de expressão a nós mesmos, nós não soubemos dar parâmetros também, libertamo-nos demais. Começamos a agir em piores condições que as demais, temos atitudes irracionais, gestos irracionais, pensamentos irracionais, nós não priorizamos mais o raciocínio pela lógica.

Estamos num momento de “flor da pele” no País e qualquer coisa que se fale, que se expresse, gera uma reação contrária imediata. Só que essa reação deixou de ser verbal, começou a ser tomada com atitudes de baixo calão, muito baixo, muito baixo mesmo. Aonde já se viu adultos num ato de desprezo pela pessoa que fala com ele, ou que o agride verbalmente, jogue-lhe excrementos ao rosto. Gente, isso é muito nojento! Isso é muito baixo!
Isso é coisa digna de crianças, de crianças mal-educadas, como diríamos antigamente. Mas crianças ainda não têm raciocínio lógico. Não têm ainda o discernimento entre o que é respeito e falta de educação.

Como nós chegamos a isso?

E o pior, a mídia dá ênfase a noticia com a simplicidade de como estivéssemos dizendo – “Bom Dia”… Dão uma complexidade natural ao assunto como se nada houvesse de errado. Nós temos que repensar este Brasil, urgente. Nós temos que reeducar essas cabeças, urgente.
Mas como adultos vão reeducar seus filhos, se eles não se reeducam… E quando se chega ao fundo poço, é muito difícil sair porque se deixa de procurar soluções, procura-se subir à cabeça do outro para que se alcance mais alto, a cada vez mais alto e não procura uma solução coletiva.

maes_criancasQuando nós desprezamos a cultura no País e começamos a seguir facções com ideologias totalmente diferentes do que sempre tivemos, destruímos nosso patrimônio cultural, nosso meio de sobrevivência, nosso meio educacional. Hoje, nós não temos parâmetros para mais nada, está muito fácil de se comprovar isso.
Como vamos conseguir mudar isso?

#Disse
Carlos Leonardo

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: