Conheça um pouco da Ordem DeMolay

demolay2A Ordem DeMolay é a maior organização juvenil do mundo, de fins filosóficos, filantrópicos, e sem fins lucrativos, já tendo iniciado desde sua origem, mais de 2,5 milhões de jovens. Trabalha alicerçada na máxima de que “educando-se o jovem estaremos nos eximindo da tarefa de ter que castigar o adulto”. Fundada em 18 de março de 1919 em Kansas City, Missouri, EUA, tem como objetivo formar jovens de 12 a 21 anos de idade, melhores cidadãos e líderes através do desenvolvimento e fortalecimento da personalidade e enfatizando virtudes indispensáveis para a boa conduta social. Ao contrário do que muitos pensam, nós não somos uma instituição Maçônica Juvenil, mas, unificada e dirigida por Maçons, organizada em sua origem como Supremo Conselho Internacional da Ordem DeMolay, em Kansas City, EUA.

A Ordem DeMolay não tem a pretensão e não deseja tomar o lugar do Lar, da Igreja ou da Escola nessa busca do aperfeiçoamento, mas coadjuvá-los com um programa de ensinamentos, visando uma boa cidadania à seus membros. É baseado no espírito de fidelidade, liderança, responsabilidade e busca de um ideal que a Ordem DeMolay trabalha os valores e virtudes de seus membros, na busca de um mundo mais digno e justo para todos, sem distinções. Os ensinamentos da Ordem orientam seus membros a se dedicar à felicidade de seus semelhantes, não só porque a razão e a moral lhes impõem tal obrigação, mas também porque esse sentimento de solidariedade os faz irmãos.

E quanto mais isto se intensifica, os países do mundo inteiro ficam mais próximos uns dos outros, ligando-se através dos jovens DeMolays que desenvolvem as Sete Virtudes Cardeais de um DeMolay: Amor Filial, Reverência pelas Coisas Sagradas, Cortesia (educação), Companheirismo (amizade), Fidelidade, Pureza e Patriotismo. Assim, mais importantes se tornam as atividades e os esforços para alcançarmos a verdadeira compreensão mútua dos valores culturais e sociais de cada nação, independentemente de origem, raça, cor, nacionalidade, religião, língua e sexo.

Quando um jovem ingressa na Ordem DeMolay várias coisas passam em sua cabeça, como a ideia da grande responsabilidade que assumiu em estar entrando para “o maior exército de jovens do mundo”; pode parecer muito, mas dali já se forma a mente de um futuro líder que irá lastrear sua conduta aos moldes de Nossa Ordem.

Atualmente a Ordem DeMolay está presente em 13 países dos quais podemos destacar Brasil, Estados Unidos, Austrália, Japão, Itália e Alemanha e outros países desejam implantar a Ordem como Inglaterra, França, Índia e Noruega. Além dos Estados Unidos mais 5 países tem Supremo Conselho próprio incluindo o Brasil.

demolay4O que a Ordem DeMolay pode fazer por um jovem? 

Os propósitos da Ordem DeMolay são muitos: sociais e de caráter construtivo. Pode-se dizer que as atividades são variadas, sempre com algo para todos. Na Ordem DeMolay o jovem é encorajado a se expressar e fazer suas opiniões conhecidas; falar com outros jovens e discutir problemas comuns à juventude.

Também na Ordem DeMolay o jovem será ajudado a se tornar um tipo de pessoa que será um crédito para a sociedade, não por ser forçado a isso, mas porque sentirá uma vontade própria, porque esta é a coisa certa a fazer, como homem e como DeMolay. Com as pressões de hoje sobre o jovem e as exigências postas sobre eles, cabe-lhes o direito de serem chamados de jovens e como resultado, o mundo tem o direito de esperar que eles conduzam suas vidas de acordo.

A Ordem DeMolay tem o poder de alistar jovens de bons princípios e transformá-los em líderes, dando-lhes ensinamentos e leis diárias para dirigir os rumos de suas vidas e até de sua nação. Cada novo DeMolay é um líder em potencial: falta-lhe apenas o devido treinamento.

A escolha do nome “Ordem DeMolay”

No primeiro encontro dos 09 (nove) rapazes foi discutido o nome que esta nova organização deveria ter. Frank S. Land falou então sobre muitos nomes famosos da história mundial, contudo, nenhum os sensibilizou. Clyde Stream sugeriu, por estarem reunidos num Templo Maçônico, soubessem algo a respeito de figuras históricas ligadas à Maçonaria.

Land começou a falar, dentre outros, sobre JACQUES DeMOLAY. Eles ouviram a história do último Grão-Mestre da Ordem dos Cavaleiros dos Templários que, ao ser queimado vivo em 18 de março de 1314, se tornou um mártir e exemplo de heroísmo, lealdade, coragem, fidelidade e tolerância. Os 09 (nove) rapazes decidiram unanimemente, dar o nome de DeMOLAY ao grupo que ora nascia.

Entretanto, Frank S. Land os aconselhou a não agir precipitadamente, que pensassem um pouco mais e analisassem também os outros nomes apresentados e, assim, a decisão ficaria para o próximo encontro. Quando os 31 jovens vieram à segunda reunião resolveram, definitivamente, que o nome da organização seria “CONSELHO DeMOLAY”.

Dia 24 de março de 1919, segunda-feira, 19:30h. Data precisa do histórico encontro, o segundo, que pode ser considerado como o verdadeiro início da ORDEM DeMOLAY. Antes de começar, Frank S. Land olhava calmamente para os 31 (trinta e um) rapazes reunidos dentro do Templo do Rito Escocês e via, através deles, o futuro da juventude mundial.

Nesta mesma reunião o primeiro DeMolay prestou seu compromisso ao novo grupo, seus integrantes e à Frank S. Land. Ajoelhado sobre ambos joelhos e com as duas mãos sobre a Bíblia Sagrada, que pertencia à Land (ele quando ainda jovem participava, na cidade de Saint Louis, da escola dominical), Louis Lower prestou seu juramento. Ao redor estavam os 31 rapazes e à sua frente Frank Land.

Em seguida, os outros oito fundadores repetiram o gesto.

demolay3Patrono da Ordem DeMolay

O homem que deu nome a Ordem DeMolay nasceu em Vitrey, região do Haute Saone, Sul da França, em 1244. Ao completar 21 anos, foi entrou para a Ordem monástico-militar dos Pobres Soldados de Cristo e do Templo de Salomão, organização que recebeu a sanção papal em 1128 com o intuito de fazer a proteção dos caminhos da Terra Santa.

Esta Ordem de Cavalaria de monges que também pegavam em armas para defender as porções cristãs do Oriente tornou-se famosa não somente pela sua bravura e agudez estratégica, mas também porque recebeu várias doações de terras e outras riquezas para manter seus trabalhos.

Estas doações e outras negociações tornaram os Templários extremamente ricos e poderosos. Como banqueiros de reis e grandes senhores de terras, exerceram grande influência nos governos da época, sendo os pioneiros no uso de algo muito parecido com nossos cheques e cartões de crédito. Um peregrino poderia entregar seus valores numa Casa Templária para viajar mais despreocupado e quando chegasse ao seu destino poderia retirar a mesma quantia. Acreditava-se até que eles seriam capazes de criar um estado independente somente para a Ordem.

Em 1298, Jacques de Molay subiu ao posto de Grande Mestre (alguns defendem o termo Grão-Mestre) da Ordem do Templo. A situação era um tanto complicada, pois com a perda da Terra Santa, a Ordem tinha perdido sua razão de ser e concentrava um grande contingente de homens e de imensas riquezas, porém não podiam ser aplicadas porque ainda que consideráveis não poderiam bancar uma nova cruzada. A Ordem esperava o apoio do povo, do clero e dos reis europeus.

demolay1Tal apoio não veio. Ao invés disto, a Ordem que se concentrava em Chipre, assistiu a cobiça do Rei Francês Felipe IV, o Belo e sua tentativa de fundir os Templários com os Hospitalários (esta Ordem também ligada ao socorro de feridos) para controlar ambas e livrar a França de dívidas, além de tornar-se o monarca mais poderoso da Europa. Nesta época, ele já tinha sob sua influência o Cardeal Bertrand de Got, que assumiu o nome de Clemente V, mantendo-o em Avingnon, França.

Em 13 de outubro, uma sexta-feira, ordens até então secretas foram executadas por Guillame deNogaret, Primeiro Ministro Francês. Elas determinavam a prisão de Jacques DeMolay e todos os Templários que fossem encontrados sob a acusação de heresia e traição. Os Cavaleiros não resistiram e foram levados, inclusive o Grande Mestre, para os calabouços onde os que aguentaram, foram torturados por sete anos vivendo à mingua.

Após ser tão torturado, Molay já tinha sido obrigado a confessar falsos crimes e atitudes inimagináveis para a ética e disciplina Templária, porém jamais entregou a localização dos demais ou o paradeiro das riquezas da Ordem. Contudo, no julgamento final, ao ouvir as acusações e prestes a se definir a sentença, negou as acusações voltou atrás nas confissões denunciando perseguições e torturas sofridas por ele mesmo e por seus irmãos de Ordem.

Tal procedimento era punido com a fogueira, o que Jacques de Molay teve que enfrentar juntamente com o Preceptor da Normandia, Geofroy de Charney, numa ilha em frente a Catedral de Notre Dame de Paris chamada Isle du Vert Galant, no dia 18 de março de 1314, diante da multidão perplexa.

 

Fonte:  DeMolay Brasil

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: