E o tal “Foro Privilegiado”?

fpriv1Sob o ponto de vista do trabalhador brasileiro, do povo brasileiro, uma das coisas mais injustas, uma coisa mais agressiva a elas é o tal do “Foro Privilegiado”. A palavra por si só já garante a existência de problemas, de coisas que não deveriam existir, “privilégios”. Perante as leis, perante as regras que coordenam um país, não poderia haver privilégios, ainda mais quando se referem a políticos, de pessoas intimamente ligadas à politica.

fpriv2Não dá para saber como chegamos a tal ponto neste País, demos diretos e poderes demais aos políticos e eles fazem e desfazem e nós não temos argumentos legais para estancar tudo isso. Demos “corda” demais a um bando de pessoas de mau caráter e eles a usam para nos enforcar mais e mais a cada dia que passa. Sentimos o ar acabando, sentimos a vida se esvaindo e como enforcados, não temos o que fazer, não temos a quem pedir socorro, não há um modo de nos juntarmos para que de alguma maneira, dentro da lei, possamos mudar alguma coisa.

fpriv3As leis estão nas mãos deles e nós somos tão desunidos, tão fracionados com ideias divergentes, ideias diferentes entre si e essa tão necessária unidade, jamais acontecerá. Criaram-se escolas de ideias diferentes, muito diferentes entre si e praticamente não há possibilidade de união dessas ideias. Todos se sentem atingidos pelo Estado, de uma maneira ou de outra, são atingidos pelo Estado. E o Estado está aí “moendo a gente” porque as leis que regem esse Estado foram escritas por essas pessoas que colocamos lá, durante todo esse tempo.

As ideias são confusas e a cada dia que passa, confundem ainda mais nossas mentes. Nós não temos argumentos legais para contrapor a tudo isso que está acontecendo, a nós só resta o direito de “pagar o pato”.

#Disse
Carlos Leonardo ˄˅

 

Artigo base da análise


Excerto de texto escrito por Emerson Santiago para o site InfoEscola

Foro Privilegiado 
É um mecanismo presente no ordenamento jurídico brasileiro que designa uma forma especial e particular para se julgar determinadas autoridades. Tal dispositivo é uma clara exceção ao princípio da igualdade, consagrado na constituição brasileira por meio de seu artigo 5º.

Ao guiar-se pela lógica, todo analista do direito naturalmente presumiria que todos os cidadãos, independente da posição em que ocupam na sociedade, devem respeitar e seguir as leis de modo uniforme. A justificação desta norma excepcional é dada pela necessidade de proteção do exercício da função ou do mandato, descaracterizando assim um possível privilégio pessoal dos detentores daquele determinado mandato.

Fonte: InfoEscola – Navegando e Aprendendo


============ DEIXE ABAIXO, SUA OPINIÃO SOBRE O ASSUNTO ============

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: