Torches of freedom

torch1Símbolo de liberdade de uma era, o orgulho de se sentir adulto de uma geração, o prazer de expelir baforadas de fumaça pelos jovens. A indústria tabagista fez milagres em termos de mídia e em termos de sucesso. Conseguiu dar conotação de felicidade, prazer e poder aos seus usuários, mesmo eles sabendo do quanto mal estavam lhes impingindo.

Tema em que posso falar com extrema facilidade, uma vez que fumei por muitos anos numa maneira crescente de uso, quando dei um basta, já consumia três maços de cigarros por dia, em dias normais, tinha dificuldades para longas caminhadas, problemas com ruas em aclive e daí para muito mais… torch2Não sei se posso me considerar vítima, mas a sensação de que fornecia a “tocha da liberdade” era de satisfação por ter o poder de acendê-la. Às vezes, me dava a nítida sensação de calma nos momentos tensos da vida, em outros me dava a certeza da dependência que ele me impunha, sempre tinha no porta-luvas do meu carro dois maços sobressalentes.

torch3Hoje, simples observador à longa distância, posso me dar o direito não dar conselhos antitabagistas, mas simplesmente tentar mostrar os contras do seu uso, porque os prós são somente realidades incutidas em nossa mente usuária. Passados mais de dez anos sem fumar, consigo conviver com a maior naturalidade com a presença de fumantes, não me considero um “ex” chato e que quer corrigir o mundo. Só tenho a lamentar que fumantes tenham que ser excluídos pela sociedade por sua infantilidade no uso do tabaco, infelizmente é o preço que tem a pagar para entender o quanto mal estão fazendo a eles próprios.

torch4Por outro lado, a poderosa indústria que antes conseguia absorver quase a metade da população de uma cidade com seus trágicos produtos hoje se encontra às mínguas. Seus produtos estão quase na ilegalidade. Seus usuários têm que se esconder para o uso, tem que serem isolados para o uso numa situação degradante e discriminatória. É vexatório sacar de um maço de cigarros e acender um na presença de não fumantes. Todo aquele esplendor de se envolver em fumaça de um cigarro que antes existia, hoje é considerado o ato uma fraqueza e descontrole de si mesmo. A título de acréscimo de conhecimento histórico, sugiro que leia o artigo abaixo citado, é muito bom.

#Disse
Carlos Leonardo ٨٧

Artigo base da análise
O último suspiro da indústria do tabaco

Fonte: Administradores.com.br


Leia também os artigos correlacionados:
Fumar – a delícia de se autodestruir!


Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: