Quando a mídia é maior que a fé

Capela das velas no Santuário Nacional de Aparecida (Foto: Carlos Santos/ G1)
Capela das velas no Santuário Nacional de Aparecida (Foto: Carlos Santos/ G1)

É histórico que a religiosidade seja exercida em sua maioria por pessoas idosas. Existe uma centena de razões para as coisas aconteçam dessa forma. A falta de aceitação de outras opções de tomada de tempo em seu dia a dia faz com que idosos se aproximem mais dos relacionamentos em uma igreja de sua fé. Há o fator do acúmulo de experiências em vida que direcionam o idoso a um possível encontro com seu deus em fé e esperança. Esses idosos ainda trazem em seu âmago a tradição religiosa herança recebida de seus pais e com o decorrer do tempo, esse processo é acelerado.

Essa tradição começou a ser quebrada quando pais, que são os idosos de hoje, começaram a liberar seus filhos da obrigatoriedade religiosa antes existente.

Basílica lotada no Santuário Nacional de Aparecida neste 12 de outubro (Foto: Carlos Santos/ G1)
Basílica lotada no Santuário Nacional de Aparecida neste 12 de outubro (Foto: Carlos Santos/ G1)

Deram a seus filhos a liberdade de opção para que assumissem suas vocações religiosas, porém o mundo vive um ritmo diferente, ele é mais acelerado que antigamente, as coisas acontecem muito mais rapidamente e não dá oportunidade às pessoas de se aconchegarem em seus conceitos religiosos, ao menos é essa a desculpa.

Amostra disso é essa data comemorativa da “Padroeira do Brasil” que já foi considerada a maior festividade religiosa por estas terras, maior até que o Natal e a Páscoa por se tratar de uma “santa” que representava a crença brasileira. Uma concorrência desleal a essa tradição foi criada pela mídia capitalista, a famosa festa do “Dia das Crianças” que nada mais é que uma injeção ao comércio de brinquedos.

Amanhece no Santuário Nacional de Aparecida (Foto: Carlos Santos/ G1)
Amanhece no Santuário Nacional de Aparecida (Foto: Carlos Santos/ G1)

Os apelos comerciais em todas as mídias são tão fortes, tão intensos que simplesmente apagaram a tradição religiosa que ocorre na mesma data.

A tendência é de que nas próximas décadas essa hecatombe publicitária destrua completamente a tradição religiosa, uma vez que as gerações mais jovens não trazem em suas mentes dogmas religiosos, o mundo consumista é muito maior e certamente será essa a verdade que estará sendo transmitida a seus futuros filhos.
Não posso me considerar um exemplo de religiosidade, mas pode-se dizer com toda certeza que o mundo está perdendo e perdendo muito em modo de vida, por falta de religião no seio da família. Não aquela religiosidade massacrante e sufocante, que não dá livre arbítrio às pessoas, não dá o direito de errar e aprender com o erro, mas uma religião parametrizadora que não deixa que as coisas se descambem como hoje está ocorrendo.

#Disse
Carlos Leonardo ˄˅

Artigo base da análise
Santuário Nacional recebe devotos de Nossa Senhora em Aparecida, SP

Fonte: G1.globo.com

 


============ DEIXE ABAIXO, SUA OPINIÃO SOBRE O ASSUNTO ============

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: