Detenção e multa só, não basta!

No Brasil, as coisas são feitas “às avessas” normalmente. Costumamos a gerar opinião a partir de um burburinho qualquer, sobre qualquer assunto. Até que essa “fervura” tome proporções gigantescas, o tema, o assunto passa despercebido para a grande maioria da população. Com base nessa afirmação, que políticos se aproveitam para fazerem passar nas votações do Congresso, leis que jamais as seriam de assim não fosse.

´Tumulos`, ´Os Bicho Vivo`e outros grupos de pichação assinam crítica à corrupção em muro paulistano

A fervura do momento, aqui no estado de São Paulo e principalmente na cidade de São Paulo, a capital, são as ações tomadas pelo recém-empossado prefeito municipal, com respeito aos pichadores e grafiteiros. Despontam duas correntes antagônicas de pensamento, atacando ou defendendo esses, “artistas?”.

Constantemente estamos julgando em comentários, os atos do “artista?” e nunca paramos para analisar a situação do proprietário do imóvel. Ressaltamos constantemente os direitos desse “artista?” se expressar artisticamente, dividimos os dois infratores em bandidos e mocinhos. O pichador, normalmente moleques de periferia, com suas cores monocromáticas é considerado bandido que não respeita a propriedade alheia e só suja a cidade.

Já o grafiteiro, e suas multicores elevadas até à agressão visual em suas “artes”, acostumamos a vê-los como uma expressão artística e como tal merece atenção e aceitação por parte de alguns. Isto por si só, já é um problema porque inclui gosto na discussão, e “gosto não se discute, cada um é cada um”, já dizia o profeta… Sem desviar do assunto, ele também não respeita a propriedade alheia. Se não há espaço para sua “arte”, o problema é outro.

Em ambos os casos, o proprietário foi desrespeitado, raramente existem autorizações para essas demonstrações de “arte”, em tratando do pichador, a situação fica mais latente ainda. Em suma, existe aí um amontoado de erros que devem ser corrigidos, antes de simplesmente ficarmos discutindo se podem ou não, em primeiro lugar, a Prefeitura local deveria disponibilizar lugares com painéis amurados para utilização desses ditos “artistas?”. A partir dessa atitude é que poderia tomar providências com os infratores do direito público. Além da detenção e multa pela infração, o infrator deveria arcar com as despesas de recuperação do imóvel, nem que essa despesa lhe atinja pelo resto de sua vida, a responsabilidade pela depredação, e isso é uma espécie de depredação, será sempre dele, seja ele quem for. Bandido ou mocinho.

#Disse
Carlos Leonardo ٨٧

Reportagem base na opinião:
Pichadores são detidos em São Paulo e prefeitura quer aumentar valor de multa

Fonte: EBC

Para você, um “Convite à Prosa…
Em sua opinião, como fica a situação do proprietário do imóvel pichado ou grafitado?


 

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: