Mesmo nas horas difíceis, os espíritos pobres se misturam

“Eu tenho 71 anos, não sei quando Deus me levará, acho que vou viver muito, porque eu quero provar que os facínoras que levantaram leviandade com a Marisa tenham, um dia, a humildade de pedir desculpas a ela, disse Lula, comovido e aplaudido pela multidão de admiradores que se reuniram na sede do Sindicato dos Metalúrgicos.”

Luís Inácio Lula da Silva – 04/02/2016


Todos os comentários inconvenientes feitos por extremistas de direita e por pessoas não alinhadas a qualquer ideologia, que se viu nestes últimos dias nas mídias, foram de uma maldade sem fim. O Brasil perdeu a noção de respeito ao ser humano, tenho dito e escrito isso há muito tempo. Só quem já perdeu um ente querido pode avaliar a enormidade dessa bestialidade expressada por essas pessoas de espírito pobre, isso já nem é mais questão de cultura ou opção política.

A dor da perda de um ente querido é incomensurável, ações e reações têm que não ser levadas em consideração, as pessoas se transtornam, perde a noção de razoabilidade. Os sentimentos duvidosos de relacionamento não podem ser realçados neste instante, muito menos ainda deve ter destaque, sentimentos de vingança à pessoa moribunda e aos seus. Mas tudo isso foi feito, foi feito por pessoas sem um pingo de sentimento, de respeito ao ser humano acossado por uma enfermidade profunda.

Mas os pobres de espírito não estão de um lado só, um velório, onde deveria existir complacência e pêsames de todos os brasileiros, tornou-se um palanque político onde se bramiam palavras de ordem, gritos desesperados de vingança e xingamentos abertos. Clima de guerra e de desafio foi o que se viu.

A singeleza que o instante pedia foi substituída por painéis, outdoor que expunha um instante muito pessoal do casal, dando mais impressão de um clima de festa, que um velório. Uma pessoa que nunca foi muito afeta a exposições festivas ali jazia e o que lhes davam como despedida era o que ela menos gostava. Ambiente muito mais apropriado ao enlutado marido que comicamente chorava e proferia palavras de ordem e desafios como se estivesse num palanque. Tudo o que reclamavam dos maldosos comentários, foram dissolvidos pelos fatos ali mostrados. Tornaram-se iguais em tudo, nem o enlutado marido escapou dessa demonstração de pobreza de espírito. Que triste! Em todos os sentidos.

#Disse
Carlos Leonardo ٨٧

Reportagem base na opinião:
Lula se despede da esposa com lágrimas e duras críticas a seus acusadores
Fonte: Notícias – Yahoo

Para você, um “Convite à Prosa…
“Dê sua opinião sobre essas condutas”

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: