Sempre as exceções mataram os objetivos…

Pequenos atos podem por tudo a perder em qualquer situação. Esse é o caso do senhor Presidente da República; está com um processo muito complicado nas mãos, tem de fazê-lo e é uma medida insatisfatória aos brasileiros. Uma medida que exige pulso firme e sem abertura de negociação, tem de ser tomada crua para que surja efeito. Não admite exceções, já tem sua aceitação maculada por não incorporar os militares, os servidores públicos federais e o pior, os políticos.

Agora, uma pressão de bases políticas da alta cúpula do País, querendo contentar suas bases eleitorais, cedendo também a influências sindicalistas que podem ameaçar a estabilidade escolar, o Senhor Presidente da República, cede e retira dos atingidos pelas medidas, a classe dos professores. Essa exceção abre direitos a outras classes que se tiverem representação forte junto ao governo, também forçarem sua saída da área de abrangência da medida previdenciária em andamento.

Essas atitudes é que fazem um governo desacreditado e balançante “na corda bamba”, enquanto uns torcem para que ele consiga levar o Brasil a uma melhor situação econômica, uma grande maioria é contra seus atos por acharem orientados a algumas classes de trabalhadores brasileiros. As promessas de corte de gastos no governo se mostraram impossíveis de cumprimento. A máquina está de certa forma travada para rodar dentro dos moldes que lhes dê mordomias garantidas que é impossível impetrar qualquer mudança nas estruturas.

#Disse
Carlos Leonardo ٨٧

Reportagem base na opinião:
Temer anuncia exclusão de servidores estaduais na reforma da Previdência

Fonte: Jovem Pan

Para você, um “Convite à Prosa…
“Qual classe a mais estará fora do alcance das medidas previdenciárias?”

 

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: