Uma explicação mal explicada

O governo está muito certo em incentivar o retorno do recebedor do programa “Bolsa Família” ao mercado de trabalho, afinal esse deveria ser um programa de apoio ao trabalhador desempregado e não um benefício perene. A admissão que o ex-trabalhador que passa a receber esse benefício tenderá a jamais voltar ao trabalho e se o fizer não irá querer o registro em carteira é verdadeiro, com toda a certeza, ele o fará sim.

Essa falha deve ser urgentemente corrigida na concessão do programa. Deverão ser implantados mecanismos de incentivo e obrigatoriedade de retorno do beneficiado ao trabalho formal, após determinado tempo. A prorrogação de sua validade poderia ser imposta com base em análises individualizadas da situação do pleiteante.

Não sei se o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra não entendeu direito ou não soube explicar. Possivelmente irão dizer que eu é que não compreendi o que ele quis dizer.
– “Se a pessoa consegue um trabalho remunerado e formal, ela tem que ser incentivada, não pode ser punida com a perda do Bolsa Família. Ela tem que ter mais um ou dois anos recebendo o Bolsa Família até ter uma estrutura mais estável de emprego. Se depois perder o emprego, tem que ter de volta o benefício automaticamente”, disse o ministro.

Se for essa a ideia de incentivo que o governo tem, ela é muito vaga e insustentável, é simplista demais. Mais parece ser uma pintura de cal sobre uma parede oleada, não tem fundamento, é só uma camuflagem do que hoje se faz. É muito pouco para convencer quem dela se usufrui a deixá-la para outros que venham a precisar. Será apenas a legalização do inchaço da lista de beneficiários que já é enorme e pesada.

#Disse
Carlos Leonardo ٨٧

Reportagem base na opinião:
Governo lançará ações de inclusão produtiva para beneficiários do Bolsa Família
Fonte: EBC

Para você, um “Convite à Prosa…
“Esse benefício não deveria ser temporário?”

 

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: