Andar é a melhor forma de pensar

Este título retrata o pensamento de Aristóteles e em sua sabedoria, já antecipava genericamente o que está se afirmando hoje. Sempre ligamos a prática de caminhar, de andar, de correr com a melhoria física relacionada aos músculos do indivíduo, à expansão dos pulmões e a consequente resistência respiratória.

Era muito comum nos preocuparmos com as acelerações cardíacas ocasionadas pelo exercício, principalmente quando não estávamos acostumados a nos exercitar. Não que esta preocupação deixou de existir, principalmente aos sedentários, mas ela incorporou uma nova diretriz de raciocínio em termos de saúde corporal.

Também me recordo que quando comecei a caminhar e nunca fui a uma academia, caminhava na rua e mais para frente, na estrada. Isso levou alguns anos porque programei as distâncias para serem progressivas e a cada vez que a aumentava, tinha a nítida sensação de uma fortíssima pulsação em minha fronte.

Lendo a reportagem abaixo citada, me fez lembrar esse fato, hoje já não posso mais fazer essas caminhadas longas, mas essa pulsação está relacionada à pressão exercida nas veias e artérias que irrigam de sangue o nosso cérebro. Segundo estudos recentes essa alteração de pressão que se torna superior à atmosférica, é benéfica ao cérebro, ao raciocínio.

Apesar de não existir um mapeamento completo e um estudo aprofundado sobre o assunto, parece muito lógica a teoria em destaque na medicina moderna e na área das culturas corporais. Iniciam-se estudos mais detalhados e catalogados sobre o assunto, aguardemos os resultados. Até lá, boa caminhada!

#Disse
Carlos Leonardo ˄˅

Artigo base da análise
Caminhar aumenta fluxo de sangue para o cérebro
Fonte: O Globo

Leia também os artigos correlacionados:

Para você, um “Convite à Prosa…
“E então, vamos caminhar?”

 

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: