Um exemplo a ser seguido

Nós temos por hábito copiar tudo o que ocorre nos EUA e isto não deveria ser diferente. Mas infelizmente nós só trazemos fielmente, os maus hábitos norte-americanos e quando buscamos copiar algo que funciona muito bem por lá, implantamos aqui de forma totalmente desvirtuada, com as desculpas de estarmos adaptando às necessidades brasileiras.

Vejamos o que está ocorrendo com o ex-homem forte do esporte brasileiro, preso preventivamente nos Estados Unidos. Embora tenhamos que admitir que o sistema prisional americano difira em muito ao arcaico sistema brasileiro, o ponto importante é a não assunção dos custos de manutenção do prisioneiro pelo estado ou entidade coordenadora do sistema em si.

Nada mais justo que assim se faça, uma vez que se a pessoa está inclusa nesses procedimentos, é porque ela já está sendo considerada de alto envolvimento com o processo. Em tudo o que fazemos, pagamos. Por que razão então prisioneiros não deveriam arcar com as despesas de seu custeio. Aqui no Brasil, além dos custos de sua manutenção no presídio, há uma ajuda de custo para a família do presidiário, é um gesto de humanidade? Pode ser, porém, a responsabilidade pelo bem estar da família é do preso e não do Estado. Antes de cometer qualquer delito, ele deveria ter pensado em sua família, ou estou errado?

#Disse
Carlos Leonardo ˄˅

Artigo base da análise
Para pagar despesas da prisão nos EUA, Marin vende mansão por R$ 11,5 milhões
Fonte: Jovem Pan

Para você, um “Convite à Prosa…
“Além de pagarmos para manter o preso, nos responsabilizamos por sua família, é justo isso?”

 

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: