Uma política baseada em facções

Sempre se desconfiou que no Brasil existisse a prática de politicagem e não de políticas voltadas ao interesse público. Vejamos as definições genéricas dessas duas situações distintas:

Politicagem
Substantivo feminino pejorativo

  • Política de interesses pessoais, de troca de favores, ou de realizações insignificantes.
  • O conjunto dos políticos que se dedicam a essa espécie de política.

Política
Substantivo feminino

  • Arte ou ciência de governar.
  • Arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou Estados; ciência política.

O resultado desse regime que aí está, é a criação de facções políticas e não partidos políticos de defesa dos interesses públicos. Hoje nos temos uma política destrutiva ao País; como um câncer, se arraigou em todas as veias da sociedade, tomou conta de órgãos e organismos produtores da Nação. Destruiu ou comprometeu assim toda estrutura sócio produtiva brasileira.

O povo por sua vez, dormiu em “berço esplêndido ao som” de palanques políticos e horário político gratuito na TV, recebendo assim uma carga enorme de promessas infundadas e interesses escusos entremeados nas linhas das escritas discursivas. Inebriados por um futuro brilhante prometido ao preço de simples votos arrebanhados junto aos familiares, o povo voltou a dormir feliz. Agora seremos uma Nação de primeiro mundo.

De repente, acordamos em meio a um tiroteio de péssimas informações, do surgimento do lado “negro da força”. Heróis que subiram ao palanque e nos convenceram que criariam um Brasil maravilhoso, roubaram-nos “na cara dura”. Trataram-nos como idiotas, tiraram-nos todas as esperanças de melhoras, nos vimos em meio a dívidas ainda maiores de quando acreditamos em suas conversas.

Agora queremos reagir, somos brasileiros. Mas como? Falta-nos conhecimento e discernimento do que é certo ou errado em termos políticos. Desconhecemos nossas leis, nossa Constituição tornou-se uma colcha de retalhos, com tantas emendas que beneficiaram uns ou outros em determinado momento.

Falta-nos um ícone que nos represente e que nos dê um rumo, um rumo em defesa da Nação e seu povo, não em interesses próprios. O povo está subdividido grupos com interesses também particulares e não consegue chegar a um denominador comum da real necessidade. Nosso futuro está obscuro e incerto.

#Disse
Carlos Leonardo ˄˅

Para você, um “Convite à Prosa…
“Aonde chegaremos, assim?”

 

Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: