Fases da perda e do luto

Com a recente perda de um familiar muito próximo, algumas rotinas de minha casa foram alteradas. Em função disso, meu filho me apresentou o link de uma explicação psicológica que vem de encontro ao que estava acontecendo. Lendo o artigo, achei-o muito interessante e que realmente antecipa o conhecimento e a espera do próximo passo, a se revelar. Passo-o logo abaixo, a matéria para conhecimento de todos, como o foi para mim.

Você provavelmente já deve ter ouvido falar que existem cinco estágios para a experiência do luto. A psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross conseguiu identificar a reação psíquica de cada paciente em estado terminal e elaborou as cinco fases do luto.
O luto é um processo necessário e fundamental para preencher o vazio deixado por qualquer perda significativa não apenas de alguém, mas também de algo importante, tais como: objeto, viagem, emprego, ideia, etc.

As cinco fases do luto (ou da perspectiva da morte) são:

Fase 1) Negação
Seria uma defesa psíquica que faz com que o indivíduo acaba negando o problema, tenta encontrar algum jeito de não entrar em contato com a realidade seja da morte de um ente querido ou da perda de emprego. É comum a pessoa também não querer falar sobre o assunto.

Fase 2) Raiva
Nessa fase o indivíduo se revolta com o mundo, se sente injustiçada e não se conforma por estar passando por isso.

Fase 3) Barganha
Essa é fase que o indivíduo começa a negociar, começando com si mesmo, acaba querendo dizer que será uma pessoa melhor se sair daquela situação, faz promessas a Deus. É como o discurso “Vou ser uma pessoa melhor, serei mais gentil e simpático com as pessoas, irei ter uma vida saudável.”

Fase 4) Depressão
Já nessa fase a pessoa se retira para seu mundo interno, se isolando, melancólica e se sentindo impotente diante da situação.

Fase 5) Aceitação
É o estágio em que o indivíduo não tem desespero e consegue enxergar a realidade como realmente é, ficando pronto pra enfrentar a perda ou a morte.

Conclusão
É importante esclarecer que não existe uma sequencia dos estágios de luto, mas é comum que as pessoas que passam por esse processo apresentem pelo menos dois desses estágios. E não necessariamente as pessoas conseguem passar por esse processo completo algumas ficam estagnadas em uma das fases que citei.

O papel do psicólogo é identificar e ajudar a pensar junto com o paciente o estágio em que se encontra. A resolução do estágio exige a vivencia de sentimentos e pensamentos que o indivíduo evitava. A tarefa do psicólogo é permitir que o paciente vivencie o luto.

#Disse
Carlos Leonardo ˄˅

Artigo base da análise
As 5 fases do luto (ou sobre a morte) de Elisabeth Kubler-Ross
Fonte: Psicologia

Para você, um “Convite à Prosa…
“Você conhecia isso? Eu não.”

 


Vamos comentar isso?

%d blogueiros gostam disto: